Quando eu morrer, dá-me um cravo vermelho, simbolo da liberdade, e leva-me ao mar. Não chores, a vida é o que mais bonito temos e eu procurei sempre viver a minha da forma mais pura possível... Porque sei sorrir e sei chorar... Bem-vindo sejas...
Terça-feira, 1 de Agosto de 2006
Pela fé de meu pai, nascido a 13 de Janeiro...

     Um fim de semana de sonho.... é verdade, apesar de ter trabalhado no Sábado e parte de Domingo e de ter rodado 400 kms para fotografar casamentos, ainda sobrou um pouquinho de tempo para ir a uma daquelas festas populares em que a malta dança ao redor da velha capela, com as sardinhas assadas e as febras sempre a andar e o vinho ou outras bebidas sempre a correr...

     Não que eu seja propriamente um grande apreciador de vinho, pelo menos do tinto nem por isso, mas um branquinho de vez em quando (com carapaus!!!!), isso já é outro assunto. Ou até mesmo um verde, com camarão... No resto das ocasiões é a cervejinha que me acompanha, não fosse ela a grande companheira de tantas das noites em que me tenho perdido por aí...

     Domingo à noite, noite especial, os Xutos estão aí nas redondezas, mais propriamente em Cantanhede, é noite de fazer o baptismo ao meu homem, toda a semana falou nisso, desistiu de ir à praia para dormir a sesta, de forma a que à noite estivesse bem disposto. As t-shirts já foram compradas, uma preta para o pai, uma branca para o filho, um sorriso enorme no rosto do meu meninito, a perspectiva de uma noite bem passada, aquele sonho tornado realidade de que um dia haveríamos de ir ver os Xutos juntos...

     Lá fomos os dois, pelas 9 da noite. A excitação fez com que ele obrigasse a mãe a telefonar-me para saber porque é eu nunca mais vinha, que nunca mais íamos para os Xutos ... Notei no olhar da mãe e nas suas palavras que adoraria ir connosco, mas a noite era nossa e ela já não faz parte da nossa vida, pelo menos quando estamos os dois juntos...

     É um homem este meu filho, com apenas quatro anos e meio já sabe muitas letras, já sabe que o pai fica triste quando houve algumas músicas, já sabe que o pai chora quando houve determinada música... Tínhamos até combinado, eu e ele, que se eu chorasse, ele me abraçaria e limparia as minhas lágrimas, como já tem feito tantas outras vezes, enquanto me abraça e me diz "pai, gosto tanto de ti"...

     Cantanhede estava impossível, milhares de pessoas, centenas de distracções, lá andamos os dois numa cena tipo montanha russa mas muito mais pequena, depois uma voltinha no camião e a seguir carros de choque dos putos... Fiquei ali encostado a observá-lo, a olhar o brilho nos olhos, a ver o enorme sorriso que fazia... Sou muito feliz nestes momentos, consigo esquecer tudo e viver para aquele sorriso, por um abraço, pelos seus carinhos...

     É hora, meu filho, milhares de pessoas no recinto, o espectáculo a começar atrasado, à boa maneira portuguesa, longa se torna a espera... Pois, porque estes gajos não sabem o difícil que é aguentar um puto de 4 anos e meio sem nada para fazer, só à espera... Mas eis que, de súbito, aí estão eles, a nossa religião, a fé do pai que hoje será do filho, ala para os ombros, canta meu menino canta, abana a cabeça, põe os braços em x e grita, grita muito, agarra-te à minha cabeça, salta nos meus ombros, sinto-me tão bem...

     Prometo trazer fotos melhores de uma próxima vez, mas estar com o meu filho aos ombros e tentar fotografar é extremamente difícil, para mais utilizando uma câmara digital compacta... Sei apenas que as músicas desfilaram uma atrás de outra e eu, apesar do cansaço, estava mesmo bem, as pessoas à nossa volta sorriam ao ver o meu meninito cantar as músicas da minha vida, destes 22 anos em que faço estrada para andar atrás desta banda, de tudo o que estes "velhotes" já me deram...

     O baptismo não podia correr melhor, o meu meninito adorou, o pai adorou, apesar de não termos visto o concerto todo, a determinada altura ele já estava cansado demais para estar parado e eu já não aguentava as dores nas costas... Pela primeira vez não vi um concerto dos Xutos até ao fim, mas não faz mal, seguramente que voltaremos a ir de mão dada vê-los cantar, certamente que teremos, em sentido figurado, mais pó da estrada para comer atrás deles... Posso dizer que o cansaço era directamente proporcional à minha felicidade...

     Mais um grande concerto, daqueles que estamos habituados a ver... Desta vez para cerca de cinquenta mil pessoas e, especialmente, para nós dois... Passei o testemunho, por assim dizer, esta fé já não é só minha, já não era anteriormente mas esta noite foi muito especial... Como diz a t-shirt do meu meninito: Pela fé de meu pai, nascido a 13 de Janeiro...

     Ah e não chorei... Agora, por uma razão mais, para além de tudo o que já me deram ao longo dos mais de 100 concertos que já vi e das muitas canções que me ofereceram, eu tenho mais um motivo muito especial para continuar a tê-los no meu coração... Muito obrigado aos Xutos por este momento tão especial... 

     A gente vê-se por aí...



vadiado por homem de negro às 09:18
Ligação vadia | Vadia para mim

8 comentários:
De Lobaaaaaaaaaaaaaaaaa a 6 de Agosto de 2006 às 00:49
É apaixonante a maneira como nos 'falas' de ti e dos teus...

Beijos.


De crowe a 4 de Agosto de 2006 às 18:41
Aie os Xutos! Aie, Aie, Aie... Parabéns pelo bom gosto ((digo eu que os adoro))! Em poucos concertos me divirto tanto como nos deles... abracinho no teu miúdo que se el gosta de xutos a gente gosta dele ;) bons concertos e boas férias


De Lisa_ a 2 de Agosto de 2006 às 14:19
Costumo dizer que não há impossiveis! E não é que me deparo com... uma impossibilidade!!!
É impossivel não se gostar de ti! ;) Goste-se ou não dos Xutos, goste-se ou não deste ou daquele autor que vais referindo nos teus textos... mas gosta-se de ti!
TU ... nessas linhas, carregadas de emoção, de sentir... do teu ser... SEMPRE!
Faças-nos chorar, rir ou pensar... a verdade é que estás... aqui... sempre... presente!
Amei. Parabéns!

Lisa_


De Marisa a 2 de Agosto de 2006 às 09:36
Amei!
Provavelmente o teu melhor texto, uma das melhores noites da tua vida, toda a tua emoção aqui.
Está fantástico, espero que o teu filho saiba e vá peercebendo o pai fantástico e inigualável que tem.
Eu adorei ler-te, parabens.
Baci...


De Tropelias a 1 de Agosto de 2006 às 22:05
Também gosto imenso dos x men (lol!), recordam me a adolescência...mas sou fã mesmo é dos Queen, lamentavelmente o Freddie Mercury não voltará a cruzar o nosso caminho, e ele nunca poderei ver ao vivo... :(


Chuva dissolvente

Entre a chuva dissolvente
E o meu caminho de casa
Dou comigo na corrente
Desta gente que se arrasta

Metro, túnel, confusão
Entre suor vespertino
Mergulho na multidão
No dia a dia sem destino

Putos que crescem sem se ver
Basta pô-los em frente à televisão
Hão-de um dia se esquecer
Rasgar retratos, largar-me a mão

Hão-de um dia se esquecer
Como eu quando cresci
Será que ainda te lembras
Do que fizeram por ti

E o que foi feito de ti
E o que foi feito de mim
E o que foi feito de ti
Já me lembrei, já me esqueci

Quando te livrares do medo
Desse amor que não entendes
Vais sentir uma outra força
Como que uma falta imensa

E quando deres por ti
Entre a chuva dissolvente
És o pai de uma criança
No seu caminho de casa

E o que foi feito de ti
E o que foi feito de mim
E o que foi feito de ti
Já me lembrei, já me esqueci


De Maria Alfacinha a 1 de Agosto de 2006 às 19:10
Pelo que descreveste até parece que estive no concerto. Só não te puxei os cabelos :-)
E é tão bonita a forma como falas do teu homem...
Quanto aos carapaus... confesso que sou amante de sardinhas. Se houver sardinhas no menu já não consigo ver mais nada :-)
Um beijo para ti (e para o teu homem)


De Anónimo a 1 de Agosto de 2006 às 16:32
No domingo kando me lembrei k era dia dos Xutos estarem na expo tive este pensamento "aposto k o homem de negro vai lá estar..."

Acertei

Beijos


De Pacatinha a 1 de Agosto de 2006 às 14:24
Encontrei o caminho para aqui por acaso já li tudo o que escreveste, gostei muito principalmente da maneira como consegues partilhar os teus sentimentos.

Vou voltar mais vezes... :o)


Comentar este texto vadio

homem de negro
Procurar vadiagens
 
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Vadiagens recentes

Parabéns...

Minha querida India...

Amor incondicional...

Amor incondicional...

Procurando...

Coisas que eu sei...

Ora pois...

El comandante...

You and I...

...

Até amanhã, camarada...

Um ano mais....

Dias felizes...

O menino e o cão...

Hoje é sexta feira 13...

25 de Abril sempre?

O tempo e saudade...

Olá...

Até já...

Recordar-te...

Vadiagens guardadas

Janeiro 2016

Novembro 2015

Março 2014

Janeiro 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

antros de perdição
blogs SAPO
subscrever feeds