3 comentários:
De Lobaaaaaaaaaaaaaaaaa a 21 de Fevereiro de 2008 às 11:59
Já conhecia este conto escrito a duas mãos.

É encantador... bastante profundo.

Um beijo...


De Fire a 19 de Fevereiro de 2008 às 00:21
Os meus sinceros parabéns! Afinal ainda há quem acredite que o Amor vence tudo...
Beijinhos doces


De KI a 18 de Fevereiro de 2008 às 12:33
Há dias que acordam calmos, até parece que vai ser apenas mais um dia, é como se estivesses na praia a observar o mar calmo, nada acontece. De repente... no horizonte uma onde se levanta e provoca um tsunami, as ondas chegam sempre à praia... é maior do que tu, tão maior que nem consegues ver onde acaba, nem tens tempo! Leva-te de repente e envolve-te, cegando-te, empurra-te contra uma árvore, magoa-te as costas, falta-te o ar, o peito aperta-se, tentando superar a dor e a situação. Da forma que começou termina, a água na cara ainda não te deixa ver claramente, sentes o sal nos lábios e simplesmente procuras, insane, uma explicação plausível...
A primeira coisa que tentas é ergueres-te, dares um passo, e outro, ainda outro até que de novo consigas caminhar e seguir em frente, ainda que o em frente te pareça difícil demais. Não podes ficar parado, ainda que o desejes sabes que a inércia não te traz nada de nada, continuas a dar passos até que um dia já consegues correr e o tsunami foi apenas algo que te estremeceu as bases, mas que te ensinou algo.

É assim a vida, sejam bons ou maus os caminhos semmpre nos trazem aprendizagens, urtigas e algodão doce...


(os amigos são como os radares da g.n.r. nunca mentem... quié? n posso retribuir-te da mesma moeda?)

Até um dia destes.... who knows.


Comentar este texto vadio