Quando eu morrer, dá-me um cravo vermelho, simbolo da liberdade, e leva-me ao mar. Não chores, a vida é o que mais bonito temos e eu procurei sempre viver a minha da forma mais pura possível... Porque sei sorrir e sei chorar... Bem-vindo sejas...
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2009
As time goes by...

 

 

Pudera eu voltar a vestir-me de inocência...

 

 


sinto-me: I just hate the fuckin' samba
música: Almost over - Limp Bizkit

vadiado por homem de negro às 02:24
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (4)

Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009
Eutanásia...

 

 

     Parece-me que esta gente que se chega à frente, aos microfones, e disserta sobre a eutanásia, não sabe lá muito bem do que está a falar. Acredito que, em grande maioria, nunca passaram por nada dessa natureza, mas aprestam-se a tecer considerações que, pelo menos a mim, me revoltam os fígados...

     Por isso aproveito hoje um texto que escrevi em tempos baseado na minha própria história. Alinhavei estas palavras vai para dois anos e meio e estas continuam tão actuais, tudo o que escrevi na altura podia ser dito hoje. Porque nos últimos dias a sociedade parece querer crucificar um pai que apenas quis deixar a filha partir em paz, depois de tantos anos a sofrer. Ambos a sofrer, ambos em paz. Um dia...

     A eutanásia, para mim, deveria ser uma opção de quem sofre ou de quem pode, porque ama, decidir esse fim. E não digo isto de ânimo leve porque, há 17 ou 18 anos atrás, quando a minha irmã teve um avc e morreu, se tivesse sobrevivido seria apenas um vegetal, perderia todas as funções que faziam dela uma mulher lindíssima, perderia o seu sorriso, perderia a fala, perderia a loucura saudável dos seus 20 anos...

     E nós, eu e os meus pais, morreríamos todos os dias enquanto ela vivesse, por vê-la ali naquele estado, deitada numa cama provavelmente com um tubo a alimentá-la, certamente sem ver, sem sentir, sem gostar, sem amar, sem conseguir poder ser dona das suas necessidades mais básicas... E não vale a pena o argumento de que hoje em dia se recupera de um avc porque recuperam apenas aqueles que os têm ligeiros e é facilmente perceptível a dificuldade com que recuperam, agora imaginem um avc massivo...

     Se ela tivesse sobrevivido, não nos assistiria o direito, porque a amávamos, de poder decidir terminar com o sofrimento dela? De poder, por assim dizer, "desligar a máquina", a quem tanto gostava da vida e por um fim a um estado em que não há volta, não há retorno? Não teríamos nós, os que a amavam, o direito de não querer morrer um pouco em cada dia porque ela estaria a morrer todos os dias? Seríamos egoístas por isso? Seria colocado em causa o nosso amor?

     Ainda posso traçar outro cenário: imaginem a dor de uma mãe a ver a filha naquela situação, sabendo que ela nunca mais seria a sua menina que lhe dava algumas dores de cabeça, mas que nem era das piores, imaginem o que sentiria a minha mãe se tivesse de passar o resto dos seus dias cuidando de quem nunca lhe pudesse devolver um carinho, um beijo, agradecer uma festa, voltar apenas nem que fosse por breves instantes. Não teria a minha mãe o direito de, porque amava a sua filha, decidir que era tempo de parar com a agonia? De conferir alguma dignidade a quem tanto amou? Será que eu ainda teria mãe hoje?

     "Foi melhor assim", foram as palavras de um familiar meu para mim, um médico analista que assistiu à autópsia. Na altura pareceram-me palavras tão cruéis para dizer a quem chorava lágrimas de sangue, demasiado cruéis, mas que hoje fazem todo o sentido, embora eu lamente profundamente que nós, caso ela tivesse sobrevivido, nunca pudéssemos demonstrar à minha irmãzita que a amávamos profundamente e que por tanto a amarmos lhe iríamos  "desligar a máquina"...

     O assunto é polémico, a lei dos homens é estúpida e o direito à vida ou opção de terminar com ela deveria pertencer a cada um, ainda que legalmente suportado num conjunto de pressupostos médicos, racionais, afectivos, efectivos, reais, longe das ideias retrógradas, fundamentalistas e hipócritas da religião(de relembrar que o Vaticano pediu perdão para os responsáveis!!!), no pressuposto de que cada um deve ser dono de si... Se nascemos sem pedir, se morremos sem querer, porque não morremos quando desejamos?

     Choro... ainda choro hoje.... ainda choro muitas vezes pelas saudades que tenho dela... E por tanto ter chorado, pelo muito que sofri, compreendo muito bem que o pai de Eluana quisesse parar com o sofrimento, que partiu três dias depois de desligada a alimentação, 17 anos depois do acidente, 10 anos a lutar em tribunal, tempo demais para quem necessitava apenas que a deixassem partir, finalmente em paz. E compreendo bem porque tive de ir em frente amparando o caminho dos meus pais, especialmente da minha mãe que, até hoje, ainda continua a chorar quando o assunto é a sua menina. Mas, e isso é tão verdade, foi melhor assim...

     É por isso que eu acho que ao ler que o governo italiano considerou não ter chegado a tempo por não ter conseguido aprovar uma lei que evitasse este gesto do pai de Eluana, quando leio que o Vaticano pede perdão para os responsáveis, parece-me que esta gente não sabe mesmo do que está a falar. Não pode mesmo saber. Porque, quer eu, quer os meus pais, seríamos dos que que desligariam a máquina. Porque simplesmente a amávamos. Será assim tão difícil perceber a simplicidade lógica deste raciocínio?

     A gente vê-se por aí...

 

 

 

 


sinto-me: Todos nós choramos...
música: Everybody hurts - REM

vadiado por homem de negro às 23:29
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (4)

Segunda-feira, 16 de Fevereiro de 2009
Dia dos namorados....

 

                                                                     

 

Como a época é de carinho, amor e paixão aqui vos deixo algumas imagens que encontrei na net acerca do dia de S. Valentim...

 

Tudo começa assim...

continua assim...

 

com sorte, chega aqui...

 

 

 

o problema é se acaba assim...

 

 


 

     Recuperação de um texto que veio à estampa corria o ano de 2007. Como este ano não me apeteceu escrevinhar nada, lembrei-me hoje de ir buscá-lo. Curiosamente, continuo a pensar da mesma forma e cada vez mais acho que este dia é bom mesmo é para os comerciantes.

     No entanto, também continuo a achar que namorar faz bem à pele e que deixar de o fazer empobrece uma relação. Portanto, para os que podem, agora que se desligaram as luzes sobre o "dia de inchar", desatem a namorar. Todos os dias e mais que uma vez por dia, se for possível...

     A gente vê-se por aí...

 

 


sinto-me: Devem ser cócegas...
música: The power of love - Frankie Goes to Hollywood

vadiado por homem de negro às 11:05
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (2)

Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009
Danos colaterais...

 

 

 

 

Pinóquio? Onde é que eu já ouvi uma referência a este nome?

 

 

 


sinto-me: Eu voto sempre...
música: Dever cívico? - Peste & Sida

vadiado por homem de negro às 09:54
Ligação vadia | Vadia para mim

Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2009
É só festas...

 

 

     Nunca pensei chegar até aqui, passado todo este tempo, reler tudo o que alinhavei ao longo dos meses e sentir que tanto de mim aqui está, reencontrar as palavras companheiros e companheiras que foram partindo, outros que ainda por cá andam, sentir um enorme prazer em ter trilhado este caminho, em ter optado por vir por cá...

     E pronto, o blog do homem faz hoje três anos. O cantinho do vadio, porto de abrigo de tantos dias tempestuosos, albergue de almas tantas vezes desamparadas que, a par da minha, traçaram rumos, é hoje um local mais alegre, menos triste, sempre alerta, pese embora a falta de tempo que às vezes tenho. Vadio ser que tantas vezes chorou enquanto escrevia..

     Ao longo destes três anos, conquistei uma vida nova com a presença do meu filho, nomeadamente a escolinha e a escola primária. Tive dúvidas como se criava um filho, procurei a experiência de quem já tinha passado pelo mesmo, esclareci questões que se me levantavam no trajecto e posso dizer que é barco que vai levando o rumo certo...

     Reassumo hoje a minha condição de livre pensador, de homem livre e amante da liberdade, de comunista, de vadio. Quem aqui vier, que venha por bem e deixe algo que me ajude a crescer. No entanto, se vier por mal, também não fecho portas que eu não sou de censuras. Já bastou. Não tenho nem nunca terei comentários moderados, não construí este blog para que me "lambessem o cu", quem quer que diga o que lhe vai na alma que eu reservo-me apenas o direito de responder. Ou não...

     E, no fundo, valeu a pena começar este caminho, vale a pena continuá-lo. Mais de 440 textos depois, mais de 2300 comentários, que apenas conto com quem marca a sua presença. Nunca tive contador, nem pretendo ter, é uma opção minha, pois o que me interessa mesmo é ter a vossa companhia, traduzida nas vossas palavras...

     Bem-hajam companheiros e companheiras, todos, todos mesmo, obrigado por tudo o que me têm dado, obrigado pela vossa companhia e por me ajudarem a ser como sou, por me entenderem, enfim... 

     À maneira do homem, pá, não me fodam e sejam mas é felizes que a vida é demasiado curta para a gastarem em futilidades...

     A gente vê-se por aí...

 

 



vadiado por homem de negro às 18:44
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (18)

Carta a uma amiga...

 

 

 

 

 

Coimbra, 2 de Fevereiro de 2009

 

 

 

 

     Cara mia

 

 

     Espero que estejas bem quando leres estas duas letritas que aqui alinhavo que nós por cá andamos bem, a par da muita chuva que já lavou o cheiro da terra molhada que tanto gostamos. Diz-se até que é o Janeiro mais chuvoso dos últimos 30 anos, o que também já era necessário para encher as nossas reservas de água. Quem não está muito satisfeito são os donos daquelas esplanadas à beira rio, onde tomar um café em boa companhia sabe tão bem, que estão inundadas. Mas adiante...

     Prende-se a razão desta pequena carta com o teu aniversário, fazes hoje 38 anos e não poderia, de forma alguma, deixar passar em claro esta data, apesar de considerar que a partir de determinada altura os parabéns por mais um ano são o que menos gostamos de ouvir. Como é óbvio, teria de ser mestre Tim a acompanhar os meus votos de parabéns, ainda que a letra seja de uma banda de dias mais antigos...

     Quero que saibas que estes anos em que aprendemos a conhecer-nos foram muito importantes para mim. Apesar dos altos e baixos, existes num cantinho muito especial do meu coração, atravessámos muitos escolhos neste mar revoltoso que é viver mas no fim sobra ainda mais carinho, daquele que sabemos dar um ao outro em dias muito difíceis. Porque nos outros não é necessário estarmos lado a lado. E no fim saímos sempre a ganhar..

     És importante para mim, muito importante. Escusado será dizer que me doeram imenso os dias em que trocámos palavras mais azedas, os dias em que nos afastámos um do outro por coisas que na verdade vinham de fora e nada nos deveriam fazer. Porque sempre achei que o nosso gostar era especial. Mas a vantagem de ser amigo de alguém é que se sabe sempre como dar a volta e reacender o que realmente é verdadeiro quando se gosta apenas por gostar...

     Não são necessárias mais palavras, caríssima. Apenas que saibas que hoje, como em tantos outros dias, eu que sou eu gosto muito de tu que és tu. Seja como for, que eu já me habituei a levar da vida as coisas boas que ela me vai dando. E é uma honra poder ser teu amigo, sabes...

     Parabéns pelos teus 38 anos, espero que passes um dia muito bonito, na companhia de quem te possa fazer efectivamente feliz. E que hajam sempre malmequeres e sorrisos...

     Um beijo vadio. A gente vê-se por aí...

 

 

Teu amigo

J.C.

 

 

 


sinto-me: Feliz...
música: Por quem não esqueci - Tim

vadiado por homem de negro às 00:10
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (2)

Domingo, 1 de Fevereiro de 2009
S. Pedro...

 

 

(fonte: google)

 

 

Em noite de muita chuva, foi este nosso S. Pedro que resolveu. E até chora quando marca com esta camisola vestida...

Pá, deixem jogar o Mantorras...

 

 


sinto-me: Quem sabe nunca esquece...
música: Don't you (forget about me) - Simple Minds

vadiado por homem de negro às 12:00
Ligação vadia | Vadia para mim

homem de negro
Procurar vadiagens
 
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Vadiagens recentes

Parabéns...

Minha querida India...

Amor incondicional...

Amor incondicional...

Procurando...

Coisas que eu sei...

Ora pois...

El comandante...

You and I...

...

Até amanhã, camarada...

Um ano mais....

Dias felizes...

O menino e o cão...

Hoje é sexta feira 13...

25 de Abril sempre?

O tempo e saudade...

Olá...

Até já...

Recordar-te...

Vadiagens guardadas

Janeiro 2016

Novembro 2015

Março 2014

Janeiro 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

antros de perdição
sons vadios...

Search Video Codes
blogs SAPO
subscrever feeds