Quando eu morrer, dá-me um cravo vermelho, simbolo da liberdade, e leva-me ao mar. Não chores, a vida é o que mais bonito temos e eu procurei sempre viver a minha da forma mais pura possível... Porque sei sorrir e sei chorar... Bem-vindo sejas...
Quarta-feira, 31 de Maio de 2006
Herois

 

E dizem
Já não há heróis
Mentem, pois!
Herói, é aquele
Que não tem medo de chorar
Herói, é aquele
Que desafia o tempo
P'ra lhe mostrar
O que vale a vida
Herói, é quem sente
Com consciência
Herói, é quem brada aos ventos
A sua força de viver
Herói, é quem
No meio da dor
Desafia o outro rosto no espelho
Herói, é quem consegue
Fazer o outro rosto sorrir
Herói, é quem trás consigo
O sorriso do espelho...
Herói, é quem vive
Não obstante
As intempéries da vida...!

................................................................................................................................................................

Andar por aí, de blog em blog, faz-nos encontrar coisas lindas, como este poema que encontrei no blog www.aflordapele455.blogspot.com e que fez muito sentido para mim. Peço desculpa pelo descaramento do gamanço e apresento a minha vénia à autora. Obrigado pelas palavras que me vais deixando...

 



vadiado por homem de negro às 10:01
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (3)

Segunda-feira, 29 de Maio de 2006
Crueldade?

Deixo-vos aqui uma sugestão que encontrei por aí para a criação de um novo desporto, no sentido de aumentar o entretenimento que é actualmente disponibilizado aos denominados seres humanos...

Como sempre, a gente vê-se por aí...



vadiado por homem de negro às 15:54
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (4)

Sexta-feira, 26 de Maio de 2006
Fim de semana...

Este fim de semana, com o calor aí a apertar, nada como arribar a locais como este e curtir este nosso maravilhoso sol, se possível com uma boa companhia

Se por acaso, a noite for dia e o dia de noite, então há sempre uma companhia alternativa...

Seja como for, votos de um excelente fim de semana e, já sabem...

A gente vê-se por aí...



vadiado por homem de negro às 17:26
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (4)

Terça-feira, 23 de Maio de 2006
Canção de embalar...
Dorme meu Menino,
Que eu zelo por ti.
Dorme o teu Soninho,
Aconchegadinho,
Pertinho de mim.
Que os Anjos do Céu,
Te guardem a Alma,
Que eu beije essa face,
Tão pura, tão Calma!
Dorme meu menino,
Calmo e Sossegado,
Que eu canto para ti,
Dorme descansado
Para variar, mais um poema abafado num blog de gente boa, o www.pensamentos-da-alma.blogspot.com, da Igara. Uma vénia pelo poema, um beijo pelo carinho, um pedido de desculpas pelo roubo, um bem-haja pelo que escreves...


vadiado por homem de negro às 16:13
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (1)

Segunda-feira, 22 de Maio de 2006
Vagueando...

     Era uma noite como tantas outras, em que uma vez mais saía sozinho, numa busca incessante pelas almas que povoam essas noites e que queria tanto ter a meu lado. De negro vestido, dos pés à cabeça, o lenço vermelho adornava o punho, era tempo de matar saudades de outras vidas...

     Os meus velhos Xutos voltavam à cidade, pousei a câmara e preparei-me para os receber, os braços em X, um arrepio na espinha, o frio da noite, as botas, o cabedal, o Queimódromo, uma vez mais, desta vez para cerca de 40 mil pessoas. Era apenas mais um que ali estava para sentir aquela voz dura, as guitarras agrestes, os riffs agressivos, para matar a saudade da estrada, do pó, das canções cantadas por milhares de vozes, do mosh, da loucura de outras tantas noites...

     Deambulei, no meio de tantas almas. Copo de cerveja na mão, um cigarro por companhia, a solidão a pesar nos meus ombros, a tristeza de me sentir tão só no meio de tanta gente. Uma atrás doutra, as musicas e as cervejas foram entrando no meu corpo, aveludando os meus sentimentos, toldando o meu raciocínio, tornando-me cada vez mais só. Não, aqui não, com vocês não, sempre me deram tudo, não me deixem sentir assim, não me deixem sentir tão sozinho...

     E então o João chegou à frente, ele que nunca fala, e disse "Esta música é dedicada ao meu amor de sempre. Ela sabe quem é...". A letra bateu-me na mente, no torpor, na dor, lembrei-me das vezes em que ligava para ela, telemóvel no ar, e lhe dedicava esta música e, primeiro uma, depois outra, as lágrimas foram caindo pelo meu rosto. No meio daquela multidão, chorava num concerto dos Xutos, um cigarro atrás do outro, como se competissem com as minhas lágrimas, a dor de ouvir aquela letra adorada e que tanto sentido faz no negro da minha alma e no negro das minhas vestes...

     Terminou a música, limpei as lágrimas que algumas pessoas acharam estranhas, mas que ninguém teve coragem de perguntar porque corriam. Também não interessava, era a minha dor que fugia pelos meus olhos, era a minha solidão que, naquele momento, com aquela intensidade, não poderia nunca ser perturbada...

     Rumei até pertinho do rio, não resisti a enviar uma mensagem sms que dizia o seguinte: "Nunca tinha chorado num concerto dos xutos ... hoje o João chegou à frente e disse: esta música é dedicada ao meu amor de sempre. Ai meu amor de sempre, o que eu já chorei por ti, mas sempre, para sempre, gostarei de ti... não pude evitar, lembrei-me de quando te ligava dos concertos e te dedicava esta música e as lágrimas correram-me pela cara abaixo... Desculpa ter-te incomodado...".

     Acho que estava demasiado sensível nesse dia pois, durante a tarde, dei com o meu filho a olhar para uma foto dos pais que está no quarto dele. "então, filhote, que se passa?", perguntei. "Estava a ver o pai e a mãe juntos. Porque é que agora já não estão juntos?". Tentei explicar-lhe, com a voz embargada, que a vida às vezes tem destas coisas, mas ele optou por me dar um abraço e dizer-me "deixa lá pai, estamos os dois juntos...".

     Não sou cobarde mas existem dias em que dói tudo cá dentro, em que tenho medo, muito, muito medo. Um cheiro, um sorriso, um olhar, uma situação, uma canção, qualquer coisa pode chamar as minhas lágrimas, às vezes tenho de parar o carro porque as lágrimas não me deixam ver o caminho....

     E eu deixo-as fluir, sinto-me bem depois, sinto-me mais leve... Estou assim porque ele esteve com a mãe este fim de semana, portanto estive sozinho. Mas hoje já vai para a minha casa, portanto vai tudo melhorar, seguramente...

     A gente vê-se por aí...

 

    

 



vadiado por homem de negro às 16:53
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (8)

Sexta-feira, 19 de Maio de 2006
Fim de semana...

    

     Depois de uma semanada de férias à conta da Queima das Fitas, o regresso ao trabalho custou um bocado, mas cá estamos na luta, pior que ter muito trabalho é não ter trabalho nenhum, mal de que se queixam muitos portugueses...

     Assim sendo, vamos para o fim de semana aproveitar este maravilhoso sol pelo qual ainda nada pagamos. Como diria um professor que tive, vão para a praia, tirem a roupa, tenham cuidado e iodam-se todos...

     Mais nada havendo para dizer, deixo o meu voto de bom fim-de-semana para todos os companheiros da blogosfera que por aí andam...

     Deixo-vos uma foto minha demonstrando como a beleza pode ser tão simples. A gente vê-se por aí...



vadiado por homem de negro às 17:52
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (6)

Quarta-feira, 17 de Maio de 2006
Andanças...
Conta-se que no século passado um turista foi à cidade do Cairo, no Egipto,
com o objectivo de visitar um famoso sábio. O turista ficou surpreso ao ver
que o sábio morava num quartinho muito simples e cheio de livros. As únicas
peças de mobília eram uma cama, uma mesa e um banco.
- Onde estão seus móveis? - perguntou o turista.
E o sábio, bem depressa, perguntou também:
- E onde estão os seus...?
- Os meus? - surpreendeu-se o turista.
- Mas eu estou aqui só de passagem!
- Eu também... - disse o sábio.
E concluiu:

"A vida na terra é somente uma passagem ...
No entanto, alguns vivem como se fossem ficar aqui eternamente e
esquecem-se de ser FELIZES."
Pensem nisto e sejam FELIZES....Na
Nas minhas andanças por aí, encontro sempre coisas bonitas que não resisto a "abafar" para colocar aqui, sempre com a devida vénia. Este veio de sandra-desabafos.blogspot.com e acho que às vezes, realmente, falha-nos qualquer coisa...
A gente vê-se por aí...minhas andanças


vadiado por homem de negro às 15:36
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (10)

Terça-feira, 16 de Maio de 2006
Diário de uma criança por nascer!
5 DE OUTUBRO:
Hoje começou minha vida. Meus pais ainda não sabem disso, mas já existo. E vou ser menina. Terei cabelos louros e olhos azuis. Quase tudo já está fixado, até mesmo que irei gostar muito de flores.

19 DE OUTUBRO:
Alguns afirmam que não sou ainda uma pessoa real, que apenas minha mãe existe. Mas sou uma pessoa real, assim como uma migalhinha de pão ainda é realmente pão. Minha mãe é. E eu também sou.

23 DE OUTUBRO:
Minha boca está começando agora a se abrir. Imagine só, dentro de cerca de um ano estarei sorrindo e, depois, falando. Sei qual será minha primeira palavra: MAMÃ.

25 DE OUTUBRO:
Meu coração começou hoje a bater por si mesmo. De agora em diante, baterá suavemente pelo resto de minha vida, sem jamais parar para descansar! E, depois de muitos anos, ele se cansará. Parará, e então morrerei.

2 DE NOVEMBRO:
Estou crescendo um pouco cada dia. Meus braços e minhas pernas começam a tomar forma. Mas tenho de esperar ainda bastante tempo antes de estas perninhas me erguerem até os braços da mamãe, antes que estes bracinhos possam colher flores e abraçar o papai.

12 DE NOVEMBRO:
Pequeninos dedos começam a formar-se em minhas mãos. É engraçado como são pequenininhos! Poderei tocar com eles nos cabelos de mamãe.

20 DE NOVEMBRO:
Foi somente hoje que o médico contou à mamãe que estou vivendo aqui, sob o coração dela. Oh, quão feliz ela deve estar! Sente-se feliz, mamãe?

25 DE NOVEMBRO:
Mamãe e papai devem estar provavelmente pensando num nome para mim. Mas eles nem sequer sabem que sou uma menininha. Desejo que me chamem de Mariazinha. Já estou ficando tão grandinha!

10 DE DEZEMBRO:
Meus cabelos estão crescendo. São macios, claros e brilhantes. Fico imaginando que tipo de cabelos mamãe tem.

13 DE DEZEMBRO:
Estou quase prestes a poder ver. Tudo é escuro em volta de mim. Quando mamãe me trouxer ao mundo, ele será cheio de sol e de flores. Mas o que mais desejo é ver minha mamãe. Qual é sua aparência, mãezinha?

24 DE DEZEMBRO:
Fico imaginando se mamãe ouve o sussurro do meu coração. Algumas crianças chegam ao mundo um pouco doentes. Mas meu coração é forte e saudável. Ele bate tão ritmicamente: toc-toc, toc-toc. A senhora terá uma filhinha saudável, mãezinha!

28 DE DEZEMBRO:
Hoje minha mãe me matou !!
 
Encontrei este texto no joanaventura.blogs.sapo.pt, uma das minhas mais recentes visitas e a quem deixo o meu obrigado, bem como a devida vénia pelo texto, apesar de saber que não é ela a autora. Deixo o caminho para lhe fazerem uma visitinha...


vadiado por homem de negro às 17:53
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (4)

Sexta-feira, 5 de Maio de 2006
Férias...

     A próxima semana será de férias. Tempo de ir para a Queima das Fitas ver concertos, fotografar, sair, passear, descansar, dormir até tarde, mas tempo igualmente de cuidar do meu meninito que está com varicela. Acerta sempre, apanha estas doenças próprias dos mais pequenos nos dias em que estou de férias e posso, assim, cuidar dele a tempo quase inteiro...

    Face a isto e depois de uma Serenata em que fiz mais de trezentas fotos, vou agora para o fim de semana tratar do Baile de Gala e da Garraiada. Para a semana fica o grande cortejo e algumas noites de Queimódromo, que recomendo a todos os que por aqui puderem passar pois a Queima das Fitas de Coimbra é inesquecível...

    Entretanto, cuidem-se, sejam felizes e bom fim-de-semana. Mais dia, menos dia, a gente vê-se por aí...



vadiado por homem de negro às 18:49
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (11)

Quinta-feira, 4 de Maio de 2006
Noite de Serenata...

 

Noite de Serenata, noite da minha Serenata...

Estou só... Sinto-me só...

Conquistámos juntos o direito de partilhar esta noite, conquistámos o direito a estar juntos quando o fado irrompesse das gargantas, cantando as lágrimas, a saudade, a tristeza, a solidão, o amor... 

Mas estou só... Esse direito é agora de outro alguém...

Aquilo que era meu, tem agora outro dono...

Comprar o negro traje da nossa vitória e usá-lo juntos, agora parece quase uma heresia pensar nisso.

De negro estou vestido porque negra é a minha alma...

Tristes são os meus olhos porque triste é o meu ser...

Doi tanto cá dentro, doi tanto amar em vão...

Vou por aí à espera que os nossos olhos se cruzem, mas são tantas as almas que vivem esta noite.

Sorrisos, gritos, alegria, loucura, felicidade, lágrimas, carinho, amor...

Tudo o que eu não tenho, porque estou só... Sinto-me tão só...

É apenas mais uma noite de solidão igual a tantas outras que já vivi...

O tempo passa, vai-se embora, mas a solidão, essa é sempre a mesma...

Não há lágrimas, não estou especialmente triste, sinto-me apenas só.

E dói tanto quando se está só no meio de muita gente...

É meu o fado que canta esta solidão, é meu o fado que canta a saudade e as lágrimas, no fundo, é minha a solidão...

Velha Sé, alberga a minha dor para que eu não me perca por essas ruas ruas de amargura...

Agora sim, vêem-me aos olhos velhas lágrimas...

Não, não quero chorar mas é quase uma imposição...

Chorar para viver um pouco, chorar para não morrer de recordações...

É isso a minha vida, as lágrimas, as recordações, a saudade, o amor, a solidão...

Estou só... Só isso, somente isso...

Paz à minha alma e uma recordação da minha irmã que nunca mais vai estar aí para me ajudar a viver estes momentos.

Saudade irmãzinha, vela por mim, ajuda-me na minha loucura porque eu sinto-me tão pequenino, tão sozinho, tão violado, tão miserável...

Eu só queria ser feliz... Ser apenas um pouquinho feliz...

Noite de Serenata, noite da minha Serenata...

 

4 de Maio de 1995, noite da minha Serenata de Caloiro...

 

Onze anos depois, hoje é noite de Serenata, novamente, e outra vez os mesmos malditos sentimentos, novamente ficar a perder, de novo o coração partido...

Hoje é noite de Serenata, a gente vê-se por aí...

    



vadiado por homem de negro às 10:41
Ligação vadia | Vadia para mim | Vadiagens (11)

homem de negro
Procurar vadiagens
 
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Vadiagens recentes

Parabéns...

Minha querida India...

Amor incondicional...

Amor incondicional...

Procurando...

Coisas que eu sei...

Ora pois...

El comandante...

You and I...

...

Até amanhã, camarada...

Um ano mais....

Dias felizes...

O menino e o cão...

Hoje é sexta feira 13...

25 de Abril sempre?

O tempo e saudade...

Olá...

Até já...

Recordar-te...

Vadiagens guardadas

Janeiro 2016

Novembro 2015

Março 2014

Janeiro 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

antros de perdição
sons vadios...

Search Video Codes
blogs SAPO
subscrever feeds